Busca

                
 
 
  • Conferências, aula aberta, minicursos e uma mesa-redonda discutiram, sobre diversos aspectos, o humanismo de Jacques Maritain durante a Semana Acadêmica 2019 do Centro de Teologia e Humanidades da UCP, encerrada no sábado (04.05) com o Seminário dos Egressos. A programação, aberta ao público, teve início na última segunda-feira (29.04) e promoveu diversas atividades realizadas no Campus Dom Veloso e também na Faculdade de São Bento e Centro Dom Vital, ambos no Rio de Janeiro, parceiros na organização do evento nomeado Colóquio Internacional sobre o Humanismo de Jacques Maritain.

    “A Semana de fato foi muito rica pela ideia fundamentalmente de fazer em três lugares, com a participação de professores de distintos lugares, mas também essa riqueza de conhecer estruturas diferentes de ensino na área da Filosofia, das Letras e História. Esse é o primeiro aspecto. Por outro lado, a experiência de internacionalizar a UCP, trazendo professores do exterior – trouxemos franceses e um romeno. Isso creio que enriquece também a perspectiva dos alunos. Uma tomada de consciência do alto nível de reflexão da UCP na área de Humanidades. E o terceiro aspecto é que agora formamos um núcleo de amizade com esses estrangeiros, que estão dispostos a fazer outros eventos em parceria”, comenta o vice-diretor do CTH, Prof. Dr. Carlos Frederico Calvet.  

    Semana Acadêmica do CTH é encerrada

    A Semana do CTH – Colóquio Internacional sobre o Humanismo de Jacques Maritain trouxe para a UCP nomes importantes que se debruçam sobre o pensamento do filósofo católico, como a Profª. Draª. Claire Bressolette e o Prof. Dr. Alin Tat. A programação também contou com apresentação musical com o Coral e com o Conjunto de Câmara da UCP, apresentação de trabalhos na área de Humanidades e dos Seminários dos Egressos da graduação e também de mestrandos e doutorandos.  

    “O balanço que fazemos da Semana Acadêmica foi bem positivo. Tivemos 49 apresentações de trabalhos, uma coisa muito rara. Foram apresentações maravilhosas. A palestra de abertura com o Prof. Edgard foi muito boa. Tivemos uma aula aberta com o Prof. Dr. Rafael Bastos que teve uma participação muito bacana. Para os alunos também foi uma experiência nova e interessante participar dos minicursos que tiveram tradução simultânea. Foi algo bem interessante e bom também para o amadurecimento”, observa o diretor do CTH, Prof. Leandro Rodrigues.


  • O Humanismo de Jacques Maritain vai permear os debates e encontros na Semana Acadêmica do Centro de Teologia e Humanidades (CTH) 2019 da UCP, aberta nesta segunda-feira (29.04). Realizado até 4 de maio, o evento – Colóquio Internacional sobre o Humanismo de Jacques Maritain - é fruto da parceria entre a Universidade, Faculdade de São Bento e Centro Dom Vital. A abertura desta segunda, que aconteceu no Salão Nobre do Campus Dom Veloso, teve a conferência A Filosofia da História de Jacques Maritain: Ser, Tempo e Moral com o Prof. Dr. Edgard Leite Ferreira Neto.

    “Esse pensamento sofreu um certo hiato, um certo obscurecimento, pelo menos no Brasil, nas últimas décadas. Mas isso não significa que o seu pensamento não continue a ser de extrema importância e relevância para a atualidade e por isso esse evento é de grande importância”, observa o Prof. Dr. Edgard Leite Ferreira Neto ao abrir sua fala na conferência.

    UCP abre a Semana do CTH 2019

    A Semana do CTH – Colóquio Internacional sobre o Humanismo de Jacques Maritain tem programação em Petrópolis, na UCP, e também no Rio, na Faculdade de São Bento e Centro Dom Vital com atividades simultâneas. O objetivo é difundir o pensamento do filósofo católico Jacques Maritain.

    O diretor do CTH, Prof. Leandro Rodrigues, destaca a ligação do tema com a missão da Universidade.

    “Jacques Maritain trabalha a questão do humanismo, da humanidade voltada para a questão religiosa, que é a nossa missão. Falar deste tema é importante, principalmente, essa reflexão sobre a questão do que é o nosso Centro como essência, que é o Centro de Teologia e Humanidades. E a reflexão sobre o ser humano como centro do presente de Deus”, comenta o Prof. Leandro Rodrigues.

  • O Brasil tem o maior índice da América Latina e o quinto maior do mundo de pessoas com depressão: 5,8% da população. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS) que ainda revela que, no mundo, o transtorno atinge mais de 300 milhões de pessoas. A questão ainda é um desafio para os profissionais, que agora podem contar com o auxílio de programas online que ajudam a lidar com os sintomas da doença. Uma novidade no Brasil, o programa alemão Deprexis é objeto de estudo de um projeto de pesquisa da Universidade Católica de Petrópolis (UCP). O grupo busca voluntários em todo o Brasil para utilizar gratuitamente o programa.

    A ideia do projeto de pesquisa, chamado de Fica Bem, é avaliar a eficácia do programa por aqui. O programa, que já foi autorizado pela Anvisa para ser distribuído no país, foi recomendado pelo Instituto Nacional para a Saúde e o Cuidado de Excelência, órgão ligado ao Ministério da Saúde britânico. Ele atua como ferramenta complementar no tratamento de depressão, com base em um estudo feito com mais de mil adultos na Suíça e na Alemanha. O estudo relaciona o uso do programa, combinado ao uso de terapia, com uma maior redução dos sintomas depressivos do que a terapia presencial sozinha.

    “Por meio do projeto, a equipe pretende investigar mais sobre a depressão em intervenções psicoterápicas online, um campo pouco estudado no Brasil no momento. Desta maneira, podemos ajudar voluntários que sofrem de sintomas depressivos e contribuir com a área de pesquisa do país”, comenta o professor da UCP, Rodrigo da Cunha Teixeira Lopes, responsável pelo projeto que está sendo desenvolvido por meio do Programa de Mestrado em Psicologia da Universidade e também do curso de graduação em Psicologia da UCP.

    Projeto de pesquisa da UCP estuda programa para melhora de sintomas da depressão

    Rodrigo destaca a importância de estudar alternativas como essa, na busca de ações efetivas e práticas, no tratamento do transtorno.

    “Vale lembrar que este programa não substitui a necessidade e ajuda de profissionais. Na verdade, o que estamos estudando é como ele pode contribuir positivamente, auxiliando e agregando ao tratamento realizado presencialmente com um profissional. Hoje, queremos a contribuição de voluntários que poderão acessar o programa gratuitamente e colaborar com essa pesquisa, que pode beneficiar em muito o tratamento para o transtorno depressivo, um grande mal que atinge pessoas de todas as idades, podendo levar a situações mais graves, como o suicídio”, observa o pesquisador.

    Dados da OMS mostram um crescimento de 18% de casos de depressão em dez anos, o que, segundo previsão, será a doença mais incapacitante do planeta até 2020. Estima-se que metade das pessoas que tentam suicídio estejam deprimidas e que 15% das pessoas sofrendo de depressão cometerão suicídio.

    Projeto de pesquisa da UCP estuda programa para melhora de sintomas depressivos

    “Existem diversos tratamentos psicológicos para os transtornos depressivos, mas são geralmente caros e inacessíveis para muitas pessoas que necessitam deles. Tratamentos auto administrados, baseados na internet, com contato mínimo com o terapeuta, demonstraram ser efetivos na redução de sintomas depressivos em algumas partes do mundo, especialmente em países com alta taxa de alfabetização e facilidade de acesso à internet. Até onde sabemos, nenhum estudo ainda foi feito utilizando essa abordagem de tratamento em países com baixos índices de alfabetização e menor acesso à internet”, explica Rodrigo.

    Os interessados em participar do projeto Fica Bem devem entrar em contato com a equipe pelo site www.sites.google.com/view/ficabem; nas redes sociais pelo Facebook (www.facebook.com/p.ficabem/) e Instagram (@p.ficabem; e também pelo e-mail: p.ficabem@gmail.com.
  • Os estudantes da UCP, dos dois campi da Universidade – Dom Veloso e Dom Cintra –, tiveram a oportunidade de assistir a palestras na última semana sobre as transformações do mercado de trabalho e a necessidade de atualização para acompanhar essas mudanças. Os encontros contaram com a participação de Jeizon Ramos, que é administrador e consultor de tecnologias SAP.

    “O foco principal das palestras, de maneira geral, é identificar na verdade que nenhuma profissão deixará de existir. A ideia não é essa. Todas as graduações estão passando por processos de modernização”, comenta Jeizon, que falou sobre Inteligência Artificial, Indústria 4.0 -  4ª Revolução Industrial, Internet das Coisas, BigData, Carreiras e oportunidades.

    A intenção dos eventos, segundo o diretor do Centro de Engenharias e Computação da UCP, Fábio Licht, é fazer com que os alunos vejam o mercado de trabalho e as mudanças que estão acontecendo.

    “A ideia das palestras é abrir a mente, pois muitas pessoas estão ficando apavoradas com a ideia de que vão perder o emprego. Na verdade, muita gente vai perder a atividade que exerce. Algumas das atividades vão sendo encerradas, porque não vai ter mais demanda para aquele tipo de trabalho. Mas em compensação vão surgindo outras demandas dentro das áreas. Não é que o profissional vai ficar desempregado. Ele vai precisar se atualizar, entender e aprender coisas novas em cima do mercado que ele conhece. E ali novas áreas e novos cargos vão surgir”, explica Licht.

  • Sete graduados em Relações Internacionais na UCP hoje levam o nome da Universidade para renomadas instituições de Ensino Superior após serem aprovados em seus programas de Mestrado com destaque. A notícia é recebida com orgulho pela Instituição, que confirma seu ensino de excelência na conquista de seus formandos. 

    “Nossa Universidade é a maior da Região Serrana e uma das mais importantes instituições de ensino do interior do Estado, de modo que aumentar o contato com instituições da capital e da grande metrópole é de fundamental importância. Ter alunos da UCP em lugares tão renomados possibilita que nossa Universidade não apenas se torne mais conhecida nos grandes centros, mas também permite maior intercâmbio e troca de experiências com essas instituições”, destaca a coordenadora do curso de RI, Luiza Bizzo. 

    Para ela, ter egressos da UCP aprovados nos programas de pós-graduação stricto e lato sensu de outras instituições agrega ainda mais valor ao curso e ao trabalho desenvolvido na Universidade.

    “Em primeiro lugar a certeza da qualidade do nosso ensino. A UCP com seu excelente corpo docente, grupos de pesquisa e estrutura possibilitam aos alunos o ingresso onde eles desejarem. Além disso, já tivemos palestrantes, cursos, seminários oferecidos aos nossos alunos graduandos, devido à boa reputação da UCP que nossos egressos levam para essas instituições”, frisa Luiza.

    É o que destacam os alunos que passaram com destaque nos mestrados. Formado no final do ano passado, o egresso Gustavo Santana foi aprovado em 1º lugar no Mestrado em Relações Internacionais da UERJ.

    “A UCP e todo o seu corpo docente tiveram um enorme impacto na minha vida acadêmica, não só durante as aulas da graduação, mas também por meio de sua estrutura, de seus cursos de extensão e por incentivar a iniciação científica de seus alunos. Incluindo a mim, que fui introduzido à pesquisa científica ainda durante a graduação, ao ser aceito no grupo de pesquisa em Relações Internacionais da Universidade atuando na linha de pesquisa de Segurança Internacional”, lembra Gustavo, que agradece o empenho dedicado pelos professores.

    UCP tem 7 graduados aprovados em mestrados de renomadas instituições

    “Todos os professores do curso demonstram sempre interesse em auxiliar os alunos, mesmo fora do horário de aula, e este auxílio foi fundamental para a minha aprovação em primeiro lugar no processo seletivo para o mestrado em Relações Internacionais na UERJ, onde agora em 2019 dou início a mais um passo na caminhada acadêmica iniciada na UCP. A Universidade que me acolheu e me deu todo o suporte para isso. Orgulho de quem faz!”, disse.

    O mesmo disse Matheus Marreiro, formado no segundo semestre de 2017. Ele foi aprovado em   na pós-graduação lato sensu da Escola Superior de Guerra em 2018 e neste ano em 2° lugar no processo seletivo no Mestrado Acadêmico em Segurança Internacional na mesma instituição.

    “Durante o período da minha graduação pude verificar o grande investimento universitário em Pesquisa e Extensão. Foi através dessas oportunidades ofertadas que comecei a participar do Grupo de Pesquisa em Relações Internacionais, recebendo bolsa de iniciação científica da Fundação Dom Cintra para atuar na linha de pesquisa de Política Externa Brasileira Contemporânea, sob orientação do professor Tiago Sales. Em seguida, migrei para a linha de Segurança Internacional com a professora Luiza Bizzo. O resultado desse esforço conjunto foram as minhas aprovações”.

    UCP tem 7 graduados aprovados em mestrados de renomadas instituições

    Confira o depoimento de outros graduados aprovados

    Lucas Poyares é graduado no segundo semestre de 2018 e ingressou neste semestre no Mestrado Acadêmico na Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME).

    “A UCP faz parte desta conquista! Na UCP fui apresentado ao programa de pós-graduação da ECEME, além de poder contar com o conhecimento adquirido nos 4 anos de graduação na universidade para me preparar para o processo seletivo do mestrado. Na UCP também pude dar, já na minha monografia, o primeiro passo para a pesquisa que faço hoje no mestrado, levando comigo, até hoje, conhecimentos adquiridos na faculdade”.

    UCP tem 7 graduados aprovados em mestrados de renomadas instituições

    Graduada no segundo semestre de 2017, Hellora Raibolt também foi aprovada no ano passado no Mestrado Acadêmico na ECEMEe Pesquisadora do Pro-Defesa.

    “A UCP, além de ter me preparado para conseguir aprovação no processo seletivo com o conhecimento que adquiri durante o curso, também foi responsável por me levar a conhecer o Programa, pois minha orientadora, Luiza Bizzo, foi quem me apresentou o programa e o processo seletivo. Além disso, foi usando o próprio conhecimento adquirido na elaboração da minha monografia que fui capaz de elaborar um projeto para tentar a vaga no mestrado. Hoje, além de mestranda, sou pesquisadora do Pro-Defesa, no projeto que tem como tema: Modelagem e Aprimoramento da Cooperação Interagências em Benefício da Segurança Integrada”.

    UCP tem 7 graduados aprovados em mestrados de renomadas instituições

    Ana Carolina Lahr é concluinte no segundo semestre do ano passado e ingressou neste semestre no Mestrado Profissional em Estudos Marítimos pela Escola de Guerra Naval.

    “O contato com temas de meu interesse intensificado em grande medida por estudos na UCP, além da ideia fomentada por minha orientadora Luiza Bizzo da consecução de um mestrado na minha área de estudos, contribuiu para minha aprovação no curso de mestrado profissional em Estudos Marítimos da Escola de Guerra Naval. Hoje, pelo PPGEM, estudo as questões securitárias no Golfo da Guiné e seus reflexos para os interesses estratégicos brasileiro no Atlântico Sul”.

    UCP tem 7 graduados aprovados em mestrados de renomadas instituições

    Aniele Farroco é graduada no segundo semestre de 2017 e mestranda ECEME no primeiro semestre do ano passado.

    “O conhecimento adquirido durante a graduação de Relações Internacionais na UCP permitiu que eu passasse no processo seletivo do Mestrado. Todo o conhecimento adquirido na graduação permitiu que eu representasse o Exército Brasileiro em um curso na National Defense University em Washington D.C. em que debatia os problemas de segurança e defesa dos países da América Latina. Atualmente, além de mestranda, sou pesquisadora em Segurança Pública no Observatório da Praia Vermelha e bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) de dedicação exclusiva ao Programa de Pós-Graduação da ECEME na linha de pesquisa de Estudos da Guerra e da Paz”.

    UCP tem 7 graduados aprovados em mestrados de renomadas instituições

    Formanda em 2016, Mariana Carluccio é mestranda pela ECEME em 2018.

    “O campo das RIs sempre me chamou a atenção, desde a adolescência, e por abranger uma vasta área de atuação, o ano de 2017 foi essencial para descobrir a área que eu gostaria de atuar. Desta forma, em 2018 ingressei no mestrado acadêmico em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-maior do Exército (ECEME). Durante este percurso, a UCP foi essencial para moldar todo o conhecimento necessário para a aprovação no mestrado, assim como também despertou em mim, por meio do meu trabalho de conclusão de curso, o desejo de pesquisar com mais afinco as operações de paz nas quais o Brasil teve uma atuação mais relevante. Hoje, meu projeto de pesquisa tem como tema: A atuação de mulheres peacekeepers nas operações de paz da ONU: um olhar feminista sobre a Minustah. Por esses e outros motivos sou muito grata a UCP e ao seu corpo docente por me prepararem para todos os caminhos que vieram e hão de vir”.

    UCP tem 7 graduados aprovados em mestrados de renomadas instituições
  • A segunda causa de morte por lesões não intencionais no mundo, considerada um problema de saúde pública mundial, a queda é um dos principais problemas no dia a dia do idoso. Pensando nisso, a UCP, por meio do Núcleo de Atendimento ao Idoso, promoveu a palestra Questões relacionadas à saúde da pessoa idosa: Prevenção de Quedas, com a Profª. Marilia Winter Hughes Leon. O encontro aconteceu nesta sexta-feira (05.04), no Núcleo, que funciona no campus Dom Veloso. 

    Dados apontam que aproximadamente 30% das pessoas com mais de 65 anos de idade caem pelo menos uma vez por ano. Depois dos 80 anos de idade, essa porcentagem pode chegar a 50%. No encontro desta sexta, os idosos receberam orientações para preservação de sua capacidade funcional, evitando assim a incapacidade e a dependência. Com a preservação da saúde, terão mobilidade, serão participativos e sociáveis.

    “A queda é um “inimigo” comum entre os idosos. Ela pode ocorrer com uma mudança de posição inesperada, não intencional, levando o indivíduo a um nível inferior, ao solo ou sobre um objeto, comumente um mobiliário. Muitos são os fatores de risco que levam a queda da pessoa idosa”, comenta a Profª. Flávia Castellain, coordenadora do Núcleo de Atendimento ao Idoso da UCP.

    Ela lista alguns dos fatores que podem causar a queda na pessoa da terceira idade. 

    “Podem ser fatores ambientais, como má iluminação; pisos e degraus escorregadios; tapetes soltos; falta de segurança nos banheiros; falta de mobilidade e acessibilidade urbana; calçadas danificadas e desniveladas; e escadas com degraus estreitos. Assim como fatores biológicos, como doenças crônicas que diminuem a força muscular de membros inferiores; distúrbios da marcha; déficit de equilíbrio; déficit cognitivo, visual e/ou auditivos. E não ficam de fora os fatores comportamentais, como excesso de medicamentos; calçados inapropriados; e fatores socioeconômicos, como moradia inadequada e acesso limitado aos serviços de saúde e social”, explica Flávia.

  • Março e abril são os temidos meses que o contribuinte tem o dever de declarar sua renda. E como sempre, surgem as dúvidas sobre a Declaração do Imposto Sobre a Renda de Pessoa Física (DIRPF) e mudanças que são feitas anualmente. Pensando nisso, a UCP em parceria com o Conselho Regional de Contabilidade do RJ (CRC-RJ) promoveu nesta terça-feira (02.04) a palestra Programa IRPF 2019, o que mudou? O encontro, que aconteceu no Salão Nobre do campus Dom Veloso, teve a participação do auditor fiscal da Receita Federal, Flávio Lázaro da Silva de Oliveira.

    “É uma forma de mantermos não só os nossos alunos, como toda a comunidade petropolitana que está interessada nesse assunto, atualizados em relação às regras do Imposto de Renda. Como temos mudança todo ano e todo cidadão tem a obrigação de declaração seu Imposto de Renda, faça ele próprio o seu ou conte com a ajuda de um contador, é importante que a gente ofereça essa informação para que a população esteja atualizada com as regras vigentes”, comenta o coordenador do curso de Ciências Contábeis da UCP, professor Rodolfo Nicolay.

    UCP e CRC-RJ promovem palestra sobre Imposto de Renda 2019

    O encontro já é uma primeira atividade do Núcleo de Atendimento Contábil e Fiscal (NAF) lançado recentemente pela UCP em parceria com a Receita Federal, CRC-RJ e Junta Comercial do Estado do RJ (JUCERJA). Umas das propostas do NAF é capacitar tanto o corpo docente como os alunos para atuarem no atendimento contábil e fiscal e a palestra vem ao encontro deste trabalho.

    Com mais de 30 anos de serviço público, mais de 10 deles como auditor fiscal da RFB, Flávio destaca a importância desta troca de informações para o contribuinte.

    “É importante no momento em que vivemos interações e contatos dentro deste fenômeno chamado globalização, que as instituições e as pessoas fiquem cada vez mais próximas umas das outras. Entendo que toda iniciativa no sentido de podermos nos aproximar mais da sociedade, levarmos a ela assuntos que diz respeito ao seu dia a dia, todo esse esforço é válido”, disse.

  • No último sábado (23.03) foi dia de celebrar a chegada dos novos estudantes com o tradicional Jogos de Integração dos Calouros 2019. O evento aconteceu no Centro Poliesportivo da UCP, no Bingen, e reuniu as Atléticas da Universidade. 

    Para participar, os estudantes doaram alimento não perecível à Pastoral da Universidade, responsável pela realização do evento. Os itens vão compor as cestas básicas que são doadas mensalmente às famílias atendidas pela pastoral por meio da campanha Adote uma família

  • O Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE) da UCP realizou nesta quarta-feira (13.03) sua Aula Inaugural com Cesar Marques, que é autor, diretor e produtor de peças teatrais. Ele apresentou a experiência educativa de um projeto social nascido em Laranjeiras, no Rio de Janeiro, na ONG Se essa rua fosse minha, que transforma a vida de crianças e jovens por meio da arte circense.

  • Doutor em Psicologia, com Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior pela University of Maryland - School of Public Health, o professor Pedro Paulo Pires dos Santos ministrou a Aula Magna do Mestrado em Psicologia. No encontro foi abordado o tema Justiça Organizacional: Uma perspectiva em Cognição Social. O evento aconteceu nesta terça-feira (12.03) no Auditório do campus BC. Pedro é docente do Departamento de Psicologia da Universidade Federal Fluminense, Parecerista ad hoc do Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos (SATePsi) do Conselho Federal de Psicologia.
  • O professor do curso de graduação em Direito da UCP, Roberto Nogueira, participou – como palestrante e professor da Instituição petropolitana – do 1º Congresso de Finanças Públicas e Tributação do Programa de Pós-Graduação em Direito (PPGD) da UERJ - 30 anos do Sistema Tributário Nacional. O evento aconteceu nos dias 22 e 23 de novembro e contou com a presença de docentes - todos de Direito Financeiro e Tributário - das universidades públicas do Estado do Rio e de algumas universidades de outros estados. 

    No evento, onde a UCP foi uma das duas universidades particulares do estado convidadas a participar, o professor falou sobre o tema Tributação indireta justa e o problema ICMS.

    “Penso que a participação foi muito rica para mim, pois encontrei e reencontrei diversos professores amigos de minha área – tributária - de várias universidades em um único evento. Ademais, a troca de ideias com mestrandos e doutorandos é sempre enriquecedora. Do ponto de vista da UCP, penso que a colocamos no lugar devido, entre as melhores do Estado do Rio e do Brasil, e poder representá-lá, como sendo a única Universidade do interior presente ao evento, foi uma grande emoção para mim, como ucepeano de primeira hora”, disse o professor.

  • Isabela Nascimento, que é aluna do mestrado em Direito da UCP, ganhou o primeiro lugar no Concurso de Artigos realizado no V Congresso Internacional de Teoria das Instituições, que aconteceu em outubro, no Rio de Janeiro. Organizado pelo Laboratório de Estudos Institucionais (LETACI), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Direito da UFRJ, juntamente com a Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ), o evento comemorou os 30 anos da Constituição Federal.

    Mestranda em Direito da UCP ganha concurso de artigos

    Intitulado O Princípio da Proporcionalidade à Luz da Teoria dos Limites dos Limites: critérios de análise de restrições a direitos fundamentais, o artigo – baseado do Trabalho de Conclusão de Curso de Isabela - trata da contextualização da estrutura dos direitos fundamentais enquanto normas principiológicas, a partir dos conflitos delas decorrentes. 

    “A investigação parte do pressuposto de que diante da estrutura vaga dos direitos fundamentais, conflitos costumam ocorrer com maior frequência, em relação às normas de conteúdo mais concreto. Esse é o motivo pelo qual a busca por critérios racionais de solução desses conflitos é uma meta necessária à interpretação constitucional. A análise justifica-se pela importância crescente que a interpretação do âmbito de proteção dos direitos fundamentais adquire no cenário da cultura jurídica contemporânea”, explica Isabela, que escreveu o artigo em coautoria com o professor Marcelo Schenk Duque, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 

    O primeiro artigo premiado da mestranda da UCP, em coautoria com o professor da UFGRS, será publicado em seção especial na Revista Estudos Institucionais (REI), de Qualis B1.

    “Terminei a graduação há pouco tempo e logo fui aprovada para o mestrado da UCP. Ao longo dos estudos fui produzindo conteúdo e me aperfeiçoando na produção de artigos jurídicos. Além do incentivo institucional e do apoio do meu orientador, prof. Sergio, foi imprescindível o processo de coautoria com o prof. Marcelo que muito contribuiu na construção do texto com seu conhecimento da doutrina alemã e com sua ampla bagagem acadêmica”, comenta a mestranda, que destaca a relevância dessa conquista na sua formação.

    “Esse feito representou realmente uma conquista, pois significa o resultado positivo da dedicação conjunta com o prof. Marcelo. Foram meses de estudo, troca de ideias e lapidação do texto para chegar ao seu resultado final. Fiquei muito orgulhosa do trabalho e muito agradecida pela parceria, pela experiência e pelo reconhecimento da pesquisa”, disse.
  • A UCP sediou, de 21 a 23 de novembro, o VI Congresso Internacional sobre Drogas que recebeu cerca de 250 pessoas nos três dias de evento que trouxe o tema Drogas e Sociedade. Realizado no campus BC em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), o evento discutiu as temáticas atuais na área de álcool e outras drogas por meio de conferências, mesas-redondas, minicursos e apresentação de trabalhos com profissionais de todo o país e também de outros países, como Colômbia, Argentina e Uruguai. No evento, uma aluna do curso de Psicologia da UCP foi premiada pelo trabalho apresentado.

    “O evento é uma oportunidade de discutir um tema tão importante na sociedade. A questão do uso de drogas é um tema de grande relevância para a área da saúde, educação, justiça e várias outras. É uma oportunidade para alunos e profissionais de aprendizado, atualização, de compartilhar algumas experiências de sucesso e desafios da prática. O Congresso busca agregar todas essas categorias profissionais, essas disciplinas e áreas do saber numa discussão de algo que é tão relevante como uma problemática tão importante na nossa sociedade”, observou a professora da graduação e mestrado em Psicologia da UCP, Pollyanna Santos da Silveira, coordenadora do evento.

    UCP recebe VI Congresso Internacional sobre Drogas

    Organizado por renomadas Instituições de Ensino Superior, o VI Congresso sobre Drogas abordou a temática sobre diferentes aspectos e sob a perspectiva de diversas áreas.

    “A importância desse Congresso é justamente essa articulação das instituições para fortalecermos algumas práticas baseadas em evidências, em qualidade científica, baseadas em conceitos éticos e de direitos humanos e é uma oportunidade da Universidade responder anseios da sociedade. E é preciso respondermos de uma maneira bem articulada, bem pensada e bem discutida. E assim, juntando forças conseguimos ter essa resposta de uma maneira mais organizada e com mais profundidade que o tema merece ter”, observou o professor doutor Telmo Ronzani, coordenador do Centro de Referência em Pesquisa, Intervenção e Avaliação em Álcool e Outras Drogas (CREPEIA) da UFJF.

    Representando a UFSJ, o coordenador do Núcleo de Pesquisa e Intervenção nas Políticas sobre Drogas (NUPID), Marcelo Dalla Vecchia destacou o foco abordado durante o Congresso.

    “No momento que estamos vivendo hoje, de mudança de governo federal e das perspectivas ao cuidado do tratamento de pessoas que têm problemas decorrentes do uso de drogas, falar sobre esse assunto é uma questão civilizatória. Uma questão de se organizar os melhores serviços para dar conta de acolher pessoas que têm necessidades muitas vezes muito diferentes. As necessidades das pessoas que fazem uso de drogas vão desde reconhecer situações que podem ser de futuro uso prejudicial, que envolve ações de prevenção. Até o cuidado daquelas pessoas que já vivem problemas decorrentes do uso de drogas”, comentou.

    “Pelo espectro de situações diferentes de uso, de padrões diferentes de uso, hoje falar sobre drogas significa pensar nos serviços que podem dar conta de acolher, respeitando os direitos humanos das pessoas. O Congresso é a possibilidade de discutir a questão humanizatória, civilizatória que está no cuidado e atenção a pessoas que fazem o uso de drogas”, frisa Marcelo.

    UCP recebe VI Congresso Internacional sobre Drogas

    O Congresso Internacional sobre Drogas acontece desde 2004, por uma iniciativa do CREPEIA, tendo como público-alvo profissionais e estudantes da área de Saúde, Assistência, Educação e demais áreas afins. O evento foi organizado por uma comissão, que contou com a participação de alunos da UCP que destacaram a experiência.

    “De início quando comentaram sobre a realização do congresso durante uma reunião do grupo de pesquisa fiquei bem animada, mas não tinha ideia que me sentiria tão bem na comissão. Entre muita correria e animação, poder auxiliar no desenvolvimento de um evento deste porte me deu oportunidade de crescer muito. Amadureci como pessoa, lidando com estudantes e profissionais de diversas partes do país e de fora dele também, auxiliando em imprevistos de última hora e organizando as coisas para poder dar o melhor para os inscritos do evento. Profissionalmente, conheci muitas pessoas e o diálogo entre diversos saberes de assuntos que me interesso, isso foi maravilhoso”, comentou Caroline Thebald dos Reis Gomes, do 8° período de Psicologia, uma das estudantes que compôs a comissão organizadora. 

    Aluna da UCP tem trabalho premiado no Congresso

    Durante o congresso, 148 trabalhos - 108 comunicações orais e 40 pôsteres – foram apresentados e sete foram premiados. A graduanda em Psicologia da UCP, Natália São Tiago Vieira, ganhou Menção Honrosa pelo trabalho Habilidades de vida como prevenção e redução de comportamentos de risco relacionado ao uso de álcool em alunos do ensino fundamental II

    “Ter um Congresso desses na nossa Universidade foi uma oportunidade e tanto para conhecermos novas ideias, novos projetos e trabalhos que estão sendo propostos atualmente em relação ao uso de álcool e outras drogas, e que são tão importantes. Fiquei muito grata por receber menção honrosa no meu trabalho apresentado, me motivando ainda mais em disseminar tal relato de experiência para que várias outras pessoas saibam a importância de tal temática. Mediante a isso, só tenho a agradecer”, disse a estudante do 8º período. 

  • A UCP esteve representada no V Congresso Brasileiro Psicologia: Ciência e Profissão, realizado entre os dias 14 e 18 de novembro, com apresentação de trabalhos e resultados de pesquisas desenvolvidas na Instituição. Docente, estudantes e egressos do curso de graduação e do mestrado em Psicologia da Universidade estiveram presentes no evento, que aconteceu na Universidade Nove de Julho (UNINOVE) em São Paulo.

    Foi apresentado Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) inspirado na prática de estágio supervisionada da pós-graduação em Psicologia da Saúde e Hospitalar da UCP, intitulado O Papel da Educação Permanente em Saúde no Ambulatório de Saúde Mental, desenvolvido pelas estudantes Renata Queiroz Ramos e Gabriela Horta Carvalho, sob a orientação das professoras Cristiane Moreira e Elisameli Vilhena.

    UCP no V Congresso Brasileiro Psicologia

    Já o grupo de pesquisa Psicologia e Mídia apresentou resultados de duas pesquisas desenvolvidas: Reflexões sobre o Suicídio na Mídia: o silêncio que não ajuda e Análise de Experimento On-line de Prevenção a Pornografia de Vingança, apresentado pelas estudantes Pâmela Mendonça Teixeira Brito e Isabela da Cruz Gomes, e pela egressa do curso de Psicologia, Francyne dos Santos Andrade.

    “Estar no V Ciência e Profissão representando a UCP e o grupo de pesquisa Psicologia e Mídia foi uma experiência incrível. Poder apresentar nosso trabalho para pessoas de todo país foi muito gratificante. Ter acesso a oportunidade de agregar novos conhecimentos, participar de minicursos, conhecer outros pesquisadores e seus trabalhos foi grandioso e com certeza essa experiência abrirá muitas portas para futuras apresentações e participações em outros eventos”, disse a estudante do 9º período, Pamela Mendonça Teixeira Brito.

    “Apresentei não apenas uma, mas duas pesquisas, e em meio à insegurança prevaleceu a alegria de estar crescendo no ambiente acadêmico e pessoalmente. Estou honrada em representar o grupo Psicologia e Mídia e a UCP neste Congresso”, complementou Isabela da Cruz Gomes, que é do 6° período.

    As estudantes do mestrado em Psicologia, Silvia Maria Zalona Vieira e Angelica Scharder Dimitriou apresentaram resultados da pesquisa desenvolvida no grupo Cognição Social, Psicologia Jurídica e Mediação de Conflitos, sob a orientação da professora Cristiane Moreira, com a participação das estudantes de graduação Mayara da Rocha Lima e Nairana da Silva Lima do Rozario. Além do trabalho A interferência das Crenças nos Conflitos Parentais em Estabelecimento de Guarda Compartilhada, o grupo apresentou também relato de experiência de oficina realizada na UCP Cognição Social e Violência contra Crianças e Adolescentes: uma proposta de intervenção, este incluindo a participação da estudante Gabriela Fonseca da Silva.

    “A participação no congresso foi importante, pois possibilitou o contato com o que há de mais avançado na pesquisa e prática em psicologia. Estabelecer rede de contatos com profissionais e outros estudantes de diversas regiões do país é muito importante para nossa vida acadêmica e profissional. Poder mostrar para outras pessoas os trabalhos que realizamos na UCP é muito gratificante, o feedback que tivemos e o congresso de modo geral foi um grande estímulo para a produção de outros trabalhos acadêmicos”, comenta Gabriela Fonseca da Silva, do 10º período.

    UCP no V Congresso Brasileiro Psicologia

    Participação de egressas do curso de Psicologia da UCP

    Psicólogas egressas da UCP também participaram do Congresso apresentando seus TCCs. Francyne dos Santos Andrade apresentou a pesquisa A Produção do Menor Infrator na Mídia Brasileira: práticas de criminalização da pobreza no G1, orientada pela professora Rosilene Ribeiro com colaboração da professora Cristiane Moreira. Mayara Mandarino Pinheiro apresentou a pesquisa A Inserção das Famílias na Abordagem ao Portador de Esquizofrenia, orientada pela professora Mara Noel.

    Também egressa da UCP, a psicóloga Danielle Leite de Oliveira Gusmão apresentou relato de experiência de atendimento em grupo de cadeirantes que integra os cursos de Psicologia e Fisioterapia, desenvolvido no CIDEPE, orientado pela professora Elisameli Vilhena com a participação da professora Monica Cilento, intitulado Resiliência e Enfrentamento na Reabilitação da Lesão Medular Pós Traumática.

    “Participar do V Congresso Brasileiro de Psicologia: Ciência e Profissão foi uma grande oportunidade para compartilhar ideias e trocar experiências. Pude apresentar o relato de experiência do grupo formado como prática de integração dos cursos de Fisioterapia e Psicologia. Grupo este formado por inspiração da professora Monica Cilento e supervisionado pela professora Elisameli Vilhena. E, tive ainda, a chance de apresentar uma releitura do meu Trabalho de Conclusão de Curso. Sou grata também a professora Cristiane Moreira que nos motivou com os trabalhos e acompanhou nesta viagem”, disse Danielle.

  • A relevância do trabalho desenvolvido na Universidade Católica de Petrópolis (UCP) foi mais uma vez destaque em evento internacional. A ex-aluna Débora Yohane Cunha Azevedo Silva, graduada em Engenharia de Petróleo, teve seu artigo premiado em um concurso realizado no Rio Oil & Gas, importante congresso internacional do setor. Ela apresentou nesta quarta-feira (26.09) o artigo baseado no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) que defendeu no segundo semestre de 2017 com nota 10. O evento acontece de 24 a 27 de setembro no Rio de Janeiro.

    O artigo técnico de Débora trata sobre o estudo das colunas de produção no projeto de um poço produtor de petróleo. Ele foi apresentado no concurso SPE Brazil Section Student Paper Contest 2018, realizado durante o evento, que é uma competição de trabalhos acadêmicos em nível nacional promovida pela SPE (Society of Petroleum Engineers) Seção Brasil.

    Graduada da UCP ganha concurso em congresso internacional

    A iniciativa tem como objetivo fomentar a produção científica brasileira na área de engenharia de petróleo, incentivando estudantes de diferentes estágios acadêmicos (graduação, mestrado e doutorado) a desenvolverem trabalhos de alto nível. A engenheira – que disputou na categoria graduação - ganhou o primeiro lugar por unanimidade, fazendo a pontuação máxima.

    “Fiquei muito feliz em ter ganhado o primeiro lugar e foi uma surpresa, porque o nível dos trabalhos é bastante alto, com excelentes profissionais e acadêmicos. Mas só tenho a agradecer à UCP, que contribuiu imensamente pra minha formação acadêmica, com infraestrutura e educação por meio do excelente nível de professores do ramo de petróleo e gás, que desde cedo me incentivaram a buscar o conhecimento e não desistir dos meus sonhos”, comemora a jovem que já está fazendo o mestrado em Engenharia Mecânica em busca de aprofundar ainda mais o conhecimento.

    Graduada da UCP ganha concurso em congresso internacional

    Para o professor orientador de Débora, Ricardo Franciss, a conquista da jovem confirma a competência da ex-aluna desde a graduação e os profissionais de excelência que a UCP insere no mercado.

    “Desde que a Débora apareceu eu já sabia que seria um diferencial, pois ela mostrava um interesse único e comprometimento em sala de aula. No TCC ela fez quase tudo sozinha. Pontuava uma coisa ou outra e ela rapidamente já estava com tudo feito. E agora receber essa notícia é uma felicidade, pois o congresso reúne profissionais muito competentes. Estou satisfeito por ter uma aluna que conseguiu ir além do que a gente se propôs, que é escrever um bom trabalho de TCC. É fazer um trabalho de congresso e competir com profissionais competentes. Isso reforça a excelência dos profissionais que formamos na UCP”, destaca Franciss.
  • Quatro estudantes do curso de Engenharia Civil da Universidade Católica de Petrópolis (UCP) se destacaram no 60º Congresso Brasileiro do Concreto, promovido pelo Instituto Brasileiro do Concreto (Ibracon), conquistando o 1º lugar – de 36 equipes inscritas de universidades de todo o país - no concurso Quem sabe faz ao vivo, realizado durante o evento em Foz do Iguaçu, no Paraná. A competição, que aconteceu na última sexta-feira (21.09), teve como objetivo a confecção de um traço de concreto, em tempo real, com materiais que foram disponibilizados na hora para os participantes e que tivesse o menor consumo de cimento, mas com maior resistência possível. 

    “Acho que é uma vitória imensa que faz a gente confirmar todo o esforço de toda a equipe, professores e alunos, acreditando que nós tínhamos capacidade de disputar os primeiros lugares. É o resultado do trabalho de um tempo imenso, de mais de 10 anos pesquisando laboratórios diariamente e continuamente. E isso nos traz essa vitória extasiante”, comemora o coordenador do curso de Engenharia Civil, professor Robson Gaiofatto.

    Os alunos Leonardo de Souza Corrêa, Luana Ferreira de Carvalho, Ana Cláudia de Mello Nascimento e Ana Beatriz Brandão Medina Dolher Souza – estudantes do 7º e 8º períodos - formaram a equipe da UCP vencedora, sendo uma das duas do Estado do Rio de Janeiro que competiram. O grupo teve que fazer em 40 minutos o chamado traço ou dosagem de concreto, que é a quantidade de cada material que vai entrar na dosagem - pedra, areia, cimento, água e aditivos - para atingir a maior resistência, a cor determinada e com menor consumo de cimento para ficar mais barato.

    “Aqui, quando fazemos os testes, a gente faz em uma hora e já sabendo onde estão os materiais. Lá tivemos 40 minutos para encontrar o material, que é diferente do que trabalhamos aqui, e não conhecíamos o que tinha. A brita, por exemplo, é diferente da nossa daqui. Mas a nossa experiência foi incrível. Uma atmosfera que não esperávamos. Fizemos 16 traços na faculdade para ver esse trabalho desenvolver”, comenta o grupo que ficou nos últimos 4 meses trabalhando diariamente para o concurso, realizado no congresso que aconteceu entre os dias 17 e 21 de setembro. 

    “A gente percebeu nesse concurso que quando a gente é um engenheiro e tem um problema, você tem que ter um raciocínio lógico de resolver a questão na hora e com o material e equipe que tem. Foi um desafio para todos e vimos que temos capacidade. Que a nossa formação aqui na UCP nos deu essa base para pensarmos como engenheiros. Fomos como profissionais. Conseguimos mostrar que a UCP é uma instituição capaz de entrar em qualquer competição com qualquer universidade. Nossos professores são de excelência. Nossos laboratórios são os melhores, com equipamentos muito mais modernos que muitas universidades renomadas”, comentam os alunos.  

    Para os docentes do curso, a conquista é uma vitória dos estudantes e que mostra a relevância do trabalho desenvolvido pela UCP. 

    “Com certeza é incentivador ver essa conquista dos alunos e de como eles estão aproveitando tudo o que o curso e a Universidade está oferecendo, com os laboratórios abertos para que eles desenvolvam esses projetos”, comenta o professor Vinícius Costa Furtado Rosa.  

    O coordenador de Engenharia Civil destaca ainda a importância da competência do corpo docente da Universidade aliada à infraestrutura, com os laboratórios, que contribuem para o melhor aproveitamento do conteúdo passado em sala de aula. 

    “Estamos muito felizes com essa conquista, pois é resultado de um trabaho de longo prazo, de participar e levar o conhecimento da UCP para esses concursos. Mostra que o caminho do trabalho que estamos desenvolvendo na UCP há muitos anos, levando o conteúdo da sala de aula para os laboratórios, é o caminho correto. Para esses alunos, é um aprendizado que vão levar para a vida e que necessariamente vai gerar um incentivo para que outros alunos venham para o laboratório de Engenharia para participar de concursos e projetos. Eles fizeram um trabalho de formiguinha, ficando aqui uma hora todos os dias. Estão de parabéns por esse resultado”, ressalta Robson Gaiofatto. 

  • A egressa do curso de Psicologia da UCP, Thalassa Gama Viana, teve a sua monografia selecionada para publicação no livro organizado pelo VII Congresso Alfepsi - Formação em Psicologia para a Transformação Psicossocial na América Latina. O evento aconteceu entre os dias 5 e 8 de setembro, na Universidade Federal do Rio de Janeiro. No dia 8, Thalassa apresentou os resultados da pesquisa monográfica intitulada A Experiência de Afrodescendentes na Universidade,defendida neste ano na UCP para a conclusão do curso.

    Egressa da UCP tem monografia selecionada para publicação em congresso latinoamericano

    “Inserir meu trabalho de monografia em contexto com tanto reconhecimento foi uma experiência incrível por dois motivos: um trabalho de conclusão de curso pode sim ter competência para dividir espaço de fala com trabalhos de pessoas mais graduadas, e para evidenciar a importância de termos um olhar mais atento às questões de discriminação étnico-racial que acontecem o tempo todo a nossa volta”, defende a egressa.

    O trabalho foi orientado pela professora doutora, Cristiane Moreira da Silva, que destaca a relevância do que é desenvolvido e apresentado na UCP.

    “A divulgação do conhecimento produzido é uma função importante da universidade e revela a qualidade dos estudos desenvolvidos na graduação. A pesquisa apresentada investigou a percepção de preconceito étnico-racial entre estudantes universitários afrodescendentes de diferentes estados do Brasil. Os resultados podem contribuir para discussões e intervenções nas universidades que enfrentem o preconceito étnico-racial e práticas discriminatórias”, observa Cristiane.

    Egressa da UCP tem monografia selecionada para publicação em congresso latinoamericano
  • A professora doutora Luciana Xavier Senra, do corpo docente do Mestrado em Psicologia da UCP, participou, em julho, do 5º Congresso Internacional em Saúde, promovido pela Universidade do Minho em Braga, Portugal. No evento, que foi realizado entre os dias 10 e 13 de julho, a professora participou de mesas redondas apresentando trabalhos sobre violência escolar e bullying entre adolescentes. 

    Professora do mestrado em Psicologia participa de congresso internacional em Portugal

    “A apresentação desses trabalhos é importante na medida em que divulga um dos desdobramentos da pesquisa que a professora vem desenvolvendo também junto ao programa de pós-graduação stricto sensu da UCP”, avalia o coordenador do mestrado em Psicologia da UCP, Luis Antonio Monteiro Campos. 

    Nesse mesmo período, a professora doutora realizou uma visita técnica na Universidade de Salamanca, na Espanha, no laboratório de Atención y Cognición Procesamiento Perceptivo visando o enriquecimento profissional a ser compartilhado com os alunos de graduação e pós-graduação em Psicologia da UCP.




  • A restauração da Catedral São Pedro de Alcântara foi o tema abordado no artigo produzido por docentes do Centro de Engenharia e Computação da Universidade Católica de Petrópolis (UCP), e que resultou no convite feito à Universidade para apresentar o trabalho em um congresso internacional de Cáceres, na Espanha, o Congresso Euro-Americano Rehabend 2018 - Patologia da Construção, Tecnologia da Reabilitação e Gestão do Patrimônio. O artigo escrito pelos professores Robson Luiz Gaiofatto, Ana Kyzzy Fachetti e Erika Pereira Machado será publicado nos anais do evento internacional, que acontece entre os dias 15 e 18 de maio.  

    “A participação da Universidade por meio de publicações que retratam pesquisas desenvolvidas pelos seus professores e alunos, mostra claramente que temos uma escola de Engenharia e Arquitetura que não fica presa no campo teórico. Muito pelo contrário, que atua em problemas reais no dia-a-dia permitindo que ao acompanhar o trabalho dos professores, os alunos tenham um ganho de aprendizado da profissão e na forma como vão trabalhar no seu dia-a-dia profissional. Além de fazer a divulgação da Universidade e do trabalho que aqui vem sendo realizado”, destaca Robson Luiz Gaiofatto, que é o coordenador do curso de Engenharia Civil da UCP.

    Os docentes também tiveram um segundo artigo reconhecido em outro evento internacional, realizado em Belo Horizonte, por um órgão vinculado à Unesco.  O II Simpósio Científico do ICOMOS BRASIL – organização responsável pela conservação e preservação de patrimônio cultural modernista - aconteceu no fim de abril. Entre os trabalhos apresentados estava o artigo dos professores da UCP, também voltado a um importante atrativo histórico-cultural da Cidade Imperial. Desta vez, o trabalho foi uma análise dos danos que comprometem a integridade do Centro de Cultura Raul de Leoni, uma construção modernista fundada em 1977.  

    “Não encontramos pesquisa sobre o Centro de Cultura Raul de Leoni até então. E Petrópolis tem muito patrimônio modernista. Muitas coisas não estão tombadas, outras estão dentro dos conjuntos paisagísticos e arquitetônicos tombados. E o ICOMOS é um órgão que pensa somente na restauração e preservação de patrimônio modernista, que é algo muito específico. Para nós, da UCP, é uma grande honra e reconhecimento termos publicado dentro de um congresso internacional como esse um artigo sobre um patrimônio legitimamente petropolitano e não antes trabalhado em uma pesquisa”, comenta a coordenadora do curso de Arquitetura da UCP, Erika Machado.

  • Na última quinta-feira, dia 22, a Universidade Católica de Petrópolis (UCP) realizou uma mostra na quadra da Igreja Nossa Senhora da Piedade para apresentar, aos estudantes do ensino médio, a vivência universitária e impulsionar a escolha da carreira profissional.

    A “Mostra UCP” marca oficialmente a chegada da instituição em Magé, resultado do convênio que a Universidade firmou com a prefeitura do município para atender os alunos da cidade com os cursos de graduação e especializações, com o objetivo de iniciar uma nova fase da educação na região.

    “Tenho uma filha que já está na faculdade e sei o que é a preocupação quando ela sai para estudar. Então, ter a oportunidade de fazer o curso perto de casa é um alívio para nós que somos pais. Agradeço por acreditarem no crescimento do município, precisamos de qualificação para a população. Estamos buscando, com o polo empresarial e agora o know-how da UCP, gerar empregos e renda. Uma ação que vai gerar frutos a médio e longo prazo.” – Disse o Prefeito de Magé, Rafael Tubarão.

    “São muitas as carências em nosso município hoje, e nossa cidade dá mais um passo em seu processo de desenvolvimento. Ao longo da história, a igreja católica acredita que se pode fazer algo pela comunidade. A presença de uma universidade é determinante para a oportunidade de trabalhar em seus dons, em prol da comunidade local e o bem estar da cidade”, declarou o Padre Leonardo Tassinari.



    De acordo com a diretora da Escola Municipal Desembargador Oswaldo Portella, Gianni, que acompanhou seus estudantes na Mostra UCP, “é unanimidade, principalmente entre os educadores, que uma verdadeira transformação se faz com educação. Se quisermos melhorar nosso município e, consequentemente, nosso país, precisamos apostar em uma educação de qualidade e fomentar a parceria entre o público e privado”.

    “Foi um enorme prazer poder levar um pouquinho do curso de Fisioterapia para esses estudantes do ensino médio, professores e familiares; que estão passando por esse momento tão difícil e tão importante da vida, que é a escolha da futura profissão.  Dos jovens com quem tive oportunidade de conversar, grande parte estava confusa em relação ao curso que escolheriam e, segundo os mesmos, a 'Mostra UCP' abriu um novo leque de conhecimento e ajudou na decisão final.” – Disse Jéssica Passarone, estudante do Curso de Fisioterapia da UCP. 

    De acordo com o Diretor do CEC da UCP, Professor Fábio Licht, “o evento em Magé permitiu uma troca de experiências motivadora entre os alunos do ensino médio de Magé e os estudantes, funcionários e professores da UCP. Foi possível apresentar os cursos da UCP para um grupo de alunos que sonham em cursar uma Universidade, mas que em sua grande maioria estava indeciso com respeito à carreira. A apresentação dos cursos da UCP e do mercado de trabalho permitiram sanar dúvidas quanto à carreira e a expectativa de mercado e crescimento profissional. Os experimentos e demonstrações nas tendas de cada Centro motivaram e entusiasmaram. O CEC, além da apresentação dos cursos, levou projetos com Arduino, experimentos de Civil e projetos de Arquitetura, que permitiram uma visão prática das Engenharias e da Arquitetura”. 

    "Esta ação é de extrema relevância não só para a UCP, como também para o Município de Magé. O investimento no processo de formação faz com que o cidadão adquira um pensamento crítico e reflexivo trazendo assim novas oportunidades. Nosso evento foi lindo pois pudemos perceber a união de nossa equipe e a qualidade do nosso serviço.” – Disse a Coordenadora do Curso de Psicologia, Mara Noel. 

    O Curso de maior demanda na região é o de Direito, já tradicional na UCP, completando os seus 64 anos. A Coordenadora do Curso, Professora Sintia Said, explicou que o objetivo é levar aprendizado aos estudantes e serviços de cunho social para toda a população. “Desde os primeiros períodos, os alunos são acompanhados pelos professores em atividades práticas nos estágios com empresas e instituições conveniadas com a Universidade. Eles também convivem com as práticas da área no nosso Núcleo de Práticas Jurídicas da Universidade. No campus de Petrópolis são realizados 3.000 atendimentos ao ano.”, explica a Professora.

Rua Benjamin Constant, 213 
Centro - Petrópolis/RJ
24 2244-4000