Busca

                
 
 
  • A relevância e importância da pesquisa no universo acadêmico e fora dos muros da Universidade foram destacadas durante a XXI Jornada de Iniciação Científica da UCP, que aconteceu nesta quarta-feira (13.11), no Campus Dom Veloso. Foram apresentados 78 trabalhos, entre 39 exposições de pôsteres de projetos de novas pesquisas e 39 apresentações orais do resultado das pesquisas desenvolvidas ao longo do último ano.  

    Participaram da solenidade de abertura do evento, o vice-reitor da UCP, maestro Marcelo Vizani; o pró-reitor de pesquisa e pós-graduação, Sérgio Salles; além dos diretores dos Centros Acadêmicos da Instituição.

       

    Atualmente, a UCP tem 70 grupos de pesquisa, grande parte financiada por meio de bolsas - pelo PIBIC/CNPq, pelo Fundo Celso da Rocha Miranda e pela própria UCP – incluindo cinco estudantes do Ensino Médio do CAUCP, que estão contemplados com bolsas do Programa de Iniciação Científica (PIC) do CNPq, na categoria Junior.

    “A universidade se caracteriza pela capacidade de manter a memória das pesquisas que foram realizadas não só aqui dentro, mas para além das nossas próprias fronteiras, e essa memória se dá, sobretudo, através do ensino. A UCP tem um ensino de excelência, que mantém viva a pesquisa que é realizada no âmbito acadêmico. Mas quando inauguramos esse projeto de iniciação científica, significa um passo além. Estamos dizendo para os nossos alunos que que eles também podem contribuir para o desenvolvimento da pesquisa, da inovação que é o que o país precisa também num momento de crise”, observa o pró-reitor de pesquisa e pós-graduação, Sérgio Salles, destacando o incentivo da pesquisa desde o Ensino Médio, no CAUCP.



    Além do trabalho desenvolvido na pesquisa na Instituição, ele também destaca o diferencial em dedicar um dia exclusivo a esse universo, reunindo jovens pesquisadores com profissionais que permitem esse intercâmbio de conhecimento.

    “É a oportunidade que os alunos têm de receber professores de fora, de instituições de todo o estado e também de outros, além dos próprios professores. Porque são olhares diversos que complementam a pesquisa realizada, e também fazem o reconhecimento que dá para o nosso aluno respaldo de que ele está no caminho certo. São sugestões muito valiosas. É um espaço de diálogo, interação e convivência acadêmica. Também uma oportunidade para que os próprios professores da casa saibam o que seus colegas estão fazendo, possibilitando ainda trocas entre os grupos, que podem trabalhar em conjunto, promovendo a interdisciplinaridade”, disse.

    Após a solenidade de abertura, o público teve a oportunidade de conhecer nos pôsteres expostos as pesquisas em andamento e em seguida, nas salas de aula, a apresentação dos trabalhos iniciados em 2018 e concluídos em 2019 que foram analisados pelos comitês interno - composto por docentes da Instituição e externo – formado por professores de instituições convidados.

  • O Comitê de Ética em Pesquisa da UCP (CEP/UCP) participou nesta segunda (11.11) e terça-feira (12.11) do Treinamento para o Sistema CEP/CONEP, que foi realizado no INCA, no Rio de Janeiro. O treinamento fez parte de uma ação contínua de atualização, avaliação e diálogo com os CEPs.



    Os temas trabalhados foram Papel e a participação do Representante de Usuários, Especificidades Éticas nas Pesquisas que utilizam Metodologias de Ciências Humanas e Sociais e Metodologias das Ciências Biomédicas, do SUS e Relatos de Casos.

    Participaram do evento a coordenadora do CEP/UCP, Profa. Ave Regina de Azevedo Silva; o vice-coordenador, Prof. Leandro Couto Carreira Ricon; a representante de usuários, Ana Maria Gonçalves Nilsson Stutzel; e a secretária administrativa, Tatiana Cordeiro Benaion Coelho, que integra o setor administrativo da Universidade.

  • Na última sexta-feira (08.11), a Escola de Música UCP promoveu mais um concerto didático. Com o tema As obras para piano de Alexandre Schubert: reflexões e interpretação, o evento reuniu alunos da EMUCP, da licenciatura em Música, músicos profissionais e interessados no tema. O concerto didático tem a proposta de oferecer ao público contato com o compositor, intérprete e as possibilidades de desenvolvimento da obra e sua execução.

     
    Compositor brasileiro premiado, Alexandre Shubert é autor de mais de 170 composições frequentemente tocadas no Brasil e no mundo afora. Participou de inúmeros álbuns de intérpretes renomados com suas músicas. É professor doutor da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com artigos e livros didáticos publicados.

    O evento contou, também, com o premiado Thalyson Rodrigues, mestre e bacharel em piano pela Escola de Música da UFRJ, com licenciatura em Música pela Universidade Cândido Mendes.

  • Figura ímpar e lendária na história da Universidade Católica de Petrópolis e do Colégio de Aplicação da UCP, a Instituição lamenta a perda do Prof. Jeronymo Ferreira Alves Netto, que nos deixou na madrugada desta sexta-feira (08.11). No alto de seus 82 anos, o docente ainda tinha viva a paixão e dom de lecionar, com sua presença marcante nas salas de aula dos cursos do Centro de Teologia e Humanidades da UCP. Considerando os relevantes serviços prestados à educação petropolitana, UCP e CAUCP, a Instituição decretou luto de três dias em sinal de pesar pela morte do docente.

    O Prof. Jeronymo (ao centro) quando recebeu das mãos do Bispo Diocesano, Dom Gergórui (è direita) e o reitor da UCP, Pe. Pedro Paulo de Carvalho Rosa, o título de Doutor Honoris Causa
    O Prof. Jeronymo (ao centro) quando recebeu das mãos do Bispo Diocesano, Dom Gergório (à direita) e do reitor da UCP, Pe. Pedro Paulo de Carvalho Rosa, o título de Doutor Honoris Causa

    “Estou tomado por sentimentos de saudades e de gratidão. O itinerário desenhado por Deus e vivido pelo Prof. Jeronymo brilha diante dos olhos de todos aqueles que tiveram o privilégio de conhecê-lo e de fazer parte de sua história. Sua importância é reconhecida não apenas para nós da UCP e Colégio de Aplicação, como também para toda educação petropolitana. Como ex-aluno, seu orientando, como reitor e diretor do colégio, só tenho a agradecer pelo magistério e pela imensurável contribuição do professor Jerônimo. Ele faz parte da história da UCP e do CAUCP e de uma imensa multidão de gerações que o tiveram como professor, gestor e amigo. Era um excelente profissional e de uma bondade exemplar”, disse o reitor da UCP e diretor do CAUCP, Pe. Pedro Paulo de Carvalho Rosa.

    Conhecido pela rica memória em detalhes da história de Petrópolis e da UCP, o Prof. Jeronymo integra essa trajetória da instituição petropolitana, desde sua formação. Foi aluno da terceira turma de bacharelandos e licenciandos da então Faculdade Católica de Filosofia, Ciências e Letras de Petrópolis, onde colou grau em fevereiro de 1964. Na UCP, lecionou por 55 anos e ocupou vários cargos e funções na administração superior, entre eles: vice-diretor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras; vice-diretor da Faculdade de Educação; diretor da Faculdade de Educação; diretor do Instituto de Teologia, Filosofia e Ciências Humanas; assessor da Reitoria no Conjunto Barão do Amazonas e vice-diretor do Instituto de Teologia, Filosofia e Ciências Humanas. No Colégio de Aplicação, além de docente, foi o segundo diretor, logo após sua fundação entre os anos de 1970 e 1981.

    Jeronymo também era membro titular do Instituto Histórico de Petrópolis e da Acadêmia Petropolitana de Letras; Associado Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico Militar Brasileiro e Associado Honorário da Acadêmia Petropolitana de Educação. Recebeu vários prêmios de pesquisa histórica de diversas instituições e a medalha de ouro do mérito universitário por serviços prestados à UCP. Seu conhecimento também ficou registrado em livros de sua autoria e nos diversos artigos publicados na imprensa petropolitana e no site do IHP.

    A missa de 7º dia será celebrada na quinta-feira (14.11), às 18h30, na Capela Nossa Senhora de Sion, que fica no Campus Dom Veloso da UCP.

    Prof. Jeronymo em homenagem no Jubileu de Ouro do CAUCP com o reitor, Pe. Pedro Paulo de Carvalho Rosa e o vice-reitor, maestro Marcelo Vizani
    Prof. Jeronymo em homenagem no Jubileu de Ouro do CAUCP com o reitor, Pe. Pedro Paulo de Carvalho Rosa, e o vice-reitor, maestro Marcelo Vizani
  • A UCP e o CAUCP estiveram representados no 1º Congresso Internacional de Educação Católica, promovido pela Arquidiocese de Juiz de Fora. O evento aconteceu entres os dias 1º e 5 de novembro na cidade mineira e contou com a participação de colaboradores da Instituição, entre reitoria, equipe gestora do CAUCP e docentes.

    Realizado em dois blocos, o Congresso debateu o tema Educação: riscos, desafios e perspectivas. O primeiro foi direcionado a professores de história e contou com a presença do coordenador do curso de História, Bruno Tamancoldi, e dos docentes Marcos Levi e Rhuan Reis do Nascimento.



    O segundo bloco foi voltado para professores e gestores de instituições de educação católica, tendo a Instituição sido representada pelo reitor, Pe. Pedro Paulo de Carvalho Rosa; pelo pró-reitor Administrativo, Anderson Cunha; pelo diretor do CTH, Leandro Rodrigues; pela coordenadora do programa de pós- graduação em Educação, Fabiana Eckhardt; além da equipe gestora do CAUCP, a coordenadora pedagógica da Educação Infantil e Ensino Fundamental I, Celeste Guedes; o coordenador pedagógico do Ensino Fundamental II e Médio, Daniel Caldeira; a orientadora pedagógica, Fabiana Lima; a supervisora psicopedagógica, Neide de Araújo Chaves; a supervisora de disciplina, Cláudia Hypólito da Silva, além do Capelão, Pe. Carlinhos e mais seis professores do PPGE e da graduação da UCP.

    Durante o evento, que teve a presença do Secretário da Cong. para Educação Católica (Roma), Dom Vincenzo Zani, ele se mostrou muito interessado em conhecer o programa de Educação ao humanismo solidário que tem sido desenvolvido no CAUCP e disse que “a participação nesse Congresso trouxe a confirmação de que o CAUCP está com caminho certo em profunda comunhão com o projeto de Escola e Educação Católica”.  
  • O curso de Psicologia da UCP promoveu um Treinamento em Habilidades e Competências Socioambientais para os integrantes da Guarda Civil Municipal de Petrópolis. A atividade, que acontece por meio de uma parceira iniciada no semestre passado, faz parte da disciplina de Estágio Supervisionado em Processos de Gestão II. Nesta quarta-feira (06.11) foi realizado, no Campus Dom Veloso, o encerramento do projeto, que atendeu cerca de 200 membros da Guarda.

    “O treinamento foi bem-sucedido, conseguimos alcançar os objetivos propostos e estreitamos as relações da Universidade com a comunidade. Houve um investimento na promoção de saúde junto aos profissionais da Guarda Civil”, observa a coordenadora do curso de Psicologia, Rosilene Ribeiro.

    O grupo participou de encontros com estudantes do curso, que tiveram a oportunidade de desenvolverem competências para atuação em gestão de pessoas e consistiu, ainda, em ação significativa de inserção social em parceria com a Prefeitura.

    “Foi um momento muito importante para a Guarda, que está sempre buscando ações que busquem o aperfeiçoamento da atuação e a UCP é uma grande parceira”, destaca a subcomandante da Guarda Civil, Claudia da Conceição.



    Sob a orientação dos professores Antônio Rubens de Meira Coelho e Luís Antônio Monteiro Campos, oito estudantes da graduação realizaram o treinamento dos membros da Guarda por meio de cinco encontros, nos quais foram abordados temas pertinentes ao desenvolvimento da função como inteligência emocional, eficácia e desenvolvimento organizacional, autoestima e habilidades sociais.

    “Foi uma experiência muito gratificante ver que conseguimos levar algo que eles reconheceram a importância. Foi uma experiência de troca muito rica que foi de longe uma das melhores que tive ao longo da graduação”, disse a graduanda do 10º período, Louise Gomes.

    “A atividade é muito importante, pois aproxima o saber pensar exercitando o saber fazer, ampliando a autonomia dos estudantes envolvidos no projeto”, salienta o Prof. Antônio Rubens.

  • No encerramento da série Expoentes da Literatura deste segundo semestre de 2019, estudantes do 6º Ano do curso de Letras da UCP foram os protagonistas do encontro – que acontece uma vez por mês. O grupo falou sobre As vozes marginais na obra de Chico Buarque. O evento aconteceu nesta quarta-feira (06.11), no auditório do Campus Dom Veloso.

    “Nada mais justo do que escolher um tema muito pertinente, junto com um escritor/autor que gostamos e nos identificamos. Acho que é unanimidade aqui no grupo, todos gostam e escutam Chico Buarque, apesar de não ser da nossa geração. É uma voz que ainda ressoa na nossa geração, ainda mais pelo momento político que estamos vivendo. Por ter escrito durante a Ditadura, ter sido exilado, muitas das músicas que ele escreveu têm essas vozes marginais, mas vai ter esse caráter mais crítico voltado para o lado político”, explica o grupo, que pincelou um pouco da vida e obra do autor para contextualizar o público.

  • A professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da UCP, Layla Talin, e a aluna Julia Baldez participaram do Simpósio Brasileiro de Qualidade do Projeto no Ambiente Construído (SBQP), que aconteceu na cidade mineira de Uberlândia, entre os dias 30 de outubro e 1º de novembro. Nesta edição do evento, a décima, os debates e reflexões foram norteados pela questão "projetar para quem?", buscando entender quem são e como interagem os agentes da construção de edifícios e cidades, o que inclui o usuário final.

    No evento, a docente e a aluna apresentaram o trabalho Hotel Quitandinha: permanências e rupturas na experiência multissensorial, relacionado com a linha de pesquisa Desempenho e Sustentabilidade no Ambiente Construído, desenvolvida pela professora e que envolve, atualmente, sete alunos do curso, com encontros semanais.

    “Dentro da linha de pesquisa, dois projetos estão em desenvolvimento. O artigo apresentado no SBQP foi produto dos resultados parciais de um desses projetos que objetiva compreender as relações entre os elementos que conformam o ambiente construído e estímulos sensoriais no Palácio Quitandinha. É um projeto motivado pela inquietação relacionada à predominância dos estímulos visuais sobre os demais sentidos como audição, olfato e tato”, explica Layla, que desenvolveu o artigo em conjunto com as alunas Julia Baldez, Beatriz Constâncio, Thais Tavares e Danielle Guettnauer.



    “Foi uma ótima oportunidade participar do SBQP 2019, não só pelo conhecimento e reflexões adquiridas no evento como um todo, mas também pela oportunidade de poder expor e apresentar um trabalho, desenvolvido no decorrer de um ano, bastante importante para a demanda sensorial da arquitetura”, disse Julia que esteve presente no Simpósio.

    “O evento foi um grande fornecedor de ideias e conhecimento. Tive acesso a diferentes pesquisas e demandas da área, além da presença e contato com ilustres profissionais e professores. Como um todo, a participação foi extraordinária. A ida ao evento me trouxe inúmeros benefícios. Experiência e desenvolvimento profissional, contato com outros mestres, ampliação da área da pesquisa e a gratidão de conseguir ter um trabalho divulgado e exposto’, completa.

    Organizado pela Associação Nacional de Tecnologia no Ambiente Construído (ANTAC), o Simpósio objetiva promover e fomentar discussões sobre o impacto da qualidade do projeto na qualidade espaço, compilando artigos e mesas-redondas com profissionais e professores renomados na área, além das apresentações de artigos relacionados ao tema.

    As linhas de discussão focaram na tecnologia aplicada no processo de projeto, como uso de softwares e parametrização da arquitetura; na interação do usuário e do cliente nesse processo; na compatibilização dos diferentes projetos envolvidos na construção (arquitetura, estruturas, elétrica, hidráulica, acústica, entre outros); no canteiro de obras; nas relações mercadológicas da indústria da construção e também nas avaliações do espaço após ser construído e ocupado.

  • Outros trabalhos dos docentes de Engenharia Civil e de Arquitetura, além do TCC de uma egressa de Arquitetura, também foram apresentados no evento, que aconteceu entre os dias 30 de outubro e 1º de novembro, em Salta


    A UCP esteve representada no XV Congresso Internacional de Patologias e Recuperação de Estruturas, que aconteceu entre os dias 30 de outubro e 1º de novembro, em Salta, na Argentina. Docentes, discente e uma egressa da Instituição apresentaram trabalhos no evento, que ainda premiou um dos artigos da Universidade.



    O coordenador do curso de Engenharia Civil e a Profa. Me. Ana Kyzzy Fachetti, da Arquitetura, prestigiaram o Congresso, onde apresentaram o trabalho Análises das patologias em obras modernistas da cidade de Petrópolis-RJ, que conta também com a participação da coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo, Erika Pereira Machado. Além desse, o Prof. Robson Gaiofatto também apresentou o trabalho Acidentes em estruturas devido à punção, desenvolvido com o aluno Leonardo de Souza Correa, que foi premiado na categoria Ensaios não destrutivos e destrutivos para avaliação de estruturas.

    A egressa Maria Cristina Mello, que também esteve presente no evento, apresentou trabalho derivado de seu TCC em Arquitetura, intitulado Proposta de intervenção paisagística - Complexo do Museu Imperial, Jardim Histórico e entorno imediato, que teve orientação da Profa. Daniele Inocêncio e coorientação da Profa. Me. Erika Pereira Machado.



    Entre os trabalhos aprovados no Congresso em Salta ainda constava o artigo Cobertura Do Theatro Municipal do Rio De Janeiro: Restauração Ou Reconstrução?, da Profa. Erika Machado.

  • Docentes e discentes da graduação e do mestrado participaram dos eventos realizados durante a reunião apresentando trabalhos e pesquisas


    A UCP esteve representada durante a 49ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Psicologia, que aconteceu entre os dias 22 e 25 de outubro, na Universidade Federal da Paraíba, em João Pessoa. Professores e alunos da graduação e do mestrado participaram de mesas-redondas, painéis, sessão e simpósios coordenando, apresentando trabalhos e pesquisas.

    O evento contou com apresentação de painéis de pesquisa, como a intitulada Autorregulação de Valores Éticos, Perdão e Religiosidade em Estudantes Universitários Brasileiros, orientada pela Profa. Dra. Cleia Zanatta Clavery Guarnido Duarte com participação do Prof. Dr. Pedro Rosário - da Universidade do Minho - e dos estudantes Alice Alves de Freitas Melo, Augusto Maia Felippe, Luciana Cordeiro Telles, Cristiane de Castro Areal, Fabíola da Silva Salustiano, Jadair de Oliveira Fernandes, Claudio Manoel Luiz de Santana, Luiz Fabio Domingos.



    Também foi apresentado o trabalho A linguagem não verbal aplicada aos pareceres psicológicos nas investigações policiais, fruto de uma pesquisa teórica do estudante do 8º período, Lucas Rodrigues Andrade das Neves, orientado pela professora do mestrado em Psicologia, Luciana Senra.

    Orientadas pelo Prof. Dr. Rodrigo da Cunha Teixeira Lopes, as alunas do mestrado, Maria Adriana Teixeira Sampaio Svacina e Mariana Correia Gamarano apresentaram as respectivas pesquisas: Crenças de autoeficácia dos usuários de uma intervenção on-line para depressão e Avaliação da experiência de usuários de um programa online autoguiado para tratamento da depressão: estudo de casos. Ambas são resultado do Projeto Fica Bem, que estuda a eficácia do programa de intervenção on-line para depressão.

    Participação em mesa-redonda

    A Profa. Dra. Cristiane Moreira da Silva coordenou a mesa-redonda Avaliação Psicológica no âmbito jurídico: práticas e desafios, na qual foram apresentados trabalhos, incluindo Análise da Produção de Relatórios Psicossociais na Vara de Família, pesquisa orientada pela professora e desenvolvida pelas mestrandas Angelica Scharder Dimitriou e Silvia Maria Zalona Vieira.

    O Prof. José Carlos Tavares da Silva coordenou a mesa Uso das TICs em apoio às pesquisas em Psicologia usando ambientes virtuais, na qual foram apresentadas pesquisa desenvolvida pelo próprio, AGAT-FS – Um Agente de Apoio ao Tratamento da Fobia Social, com participação dos estudantes Liliane Senra e Matheus Mercaldo; e também outras, como Interações mediadas e o uso de bots no enfrentamento à pornografia de vingança, da Profa. Cristiane Moreira.



    O Prof. Dr. Luis Antonio Monteiro Campos coordenou a mesa Crenças e estereótipos, na qual foram apresentadas as pesquisas Interculturalidade: um estudo de auto e hetero estereótipos de guardas municipais em relação a brancos, afrodescendentes e indígenas, orientada pelo próprio com participação do Prof. Me. da UNESA, Diogo Bonioli, dos Profs Drs da UFRJ, Rodolfo Ribas e Américo Pastor e da estudante, Julia Bonfim.

    Também foram apresentadas as pesquisas Crenças dos moradores de rua e dos que cuidam dos moradores de rua no Centro POP – Petrópolis, desenvolvida pelo Prof. Dr. José Carlos Tavares e as estudantes Nathalia Carvalho de Mello e Amanda Lima; e a pesquisa orientada pela Profa. Dra. Cristiane Moreira, Cognição Social e Psicologia Jurídica: influência de crenças parentais no estabelecimento da guarda compartilhada, desenvolvida pelas mestrandas Silvia Maria Zalona Vieira e Angelica Dimitriou Scharder e pela psicóloga egressa Mayara da Rocha Lima.

    Participação em Sessão Coordenada

    A estudante Nathalia Melo de Carvalho coordenou a sessão Diminuindo vieses de medidas psicológicas: instrumentos implícitos para aferir atitudes e personalidade.
    Participação em Simpósio

    Participaram do Simpósio Fatores psicossociais adversos: sua atuação na geração de transtornos mentais e implicações para o tratamento pela Terapia Cognitivo-Comportamental, os professores José Carlos Tavares, com o tema A Influência dos Conflitos Intrapessoais e Interpessoais na Formação das Crenças Disfuncionais sob a Ótica da Cognição Social, e Helmuth Kruger com o tema Estrutura e dinâmica de conflitos e desajustamentos.



    O Prof. Dr. Helmuth Kruger coordenou o Simpósio Preconceitos Políticos, Violência e Comportamento Social, no qual apresentou o tema Ideologias e Preconceitos Políticos, com participação do Prof. Dr. Lélio Moura Lourenço da UFJF abordando A Violência Política: Uma Análise Psicossocial e Prof. Dr. Luis Antonio Monteiro Campos com o tema Preconceitos políticos e comportamento social.

    A Profa. Dra. Cleia Zanatta Clavery Guarnido Duarte coordenou o Simpósio Logoterapia e Religião, no qual apresentou o tema O inconsciente espiritual na obra de Viktor Frankl, com participação da Profa. Dra. Helga Hinkenickel Reinhold da UNIFEOB, com o tema Orientação Espiritual e Logoterapia e Prof. Dr. Helmuth Kruger com o tema Psicoterapia e Religião.

    Alunos da graduação e do mestrado reconhecem importância da participação em eventos acadêmicos

     “A SBP é um lugar onde flui conhecimento. Nela nós fazemos contatos, criamos novas ideias, pensamos em coisas que jamais tínhamos pensado antes, nos deparamos com o conteúdo acadêmico sem fronteiras, vemos o que está se produzindo de ponta a ponta do nosso Brasil. Mas para mim, este congresso foi, principalmente, o reconhecimento do quanto de orgulho que tenho em ser UCP”, disse a estudante Alice Freitas, do 6° período.

    “Levar este trabalho de iniciação científica para um congresso nacional, o qual existem inúmeros trabalhos, ganha-se experiência de vida e acadêmica, e é uma responsabilidade grande por levar-se o nome de todos os integrantes e da faculdade, a qual orgulho-me em levar o seu nome para o estado da Paraíba”, comenta o aluno do 9º período, Augusto Maia.

    “O congresso da SBP tem larga abrangência nacional e é uma das plataformas para boas trocas de experiência, aprendizado, informação e divulgação de trabalhos científicos”, pontua Maria Adriana Svacina, mestranda em Psicologia.

    “Foi muito importante a participação do mestrado neste evento, pois a apresentação dos resultados das pesquisas que realizamos são importantes principalmente para incentivar o crescimento da iniciação científica na universidade”, frisa a mestranda Silvia Vieira.

  • A UCP esteve presente na 39ª Reunião da Associação de pesquisa e pós-graduação em Educação (Anped), que aconteceu entre os dias 20 e 24 de outubro, na Universidade Federal Fluminense, em Niterói. Na ocasião, o professor Antonio Flavio Barbosa Moreira foi homenageado pelo Grupo de Trabalho sobre Currículo, GT que coordenou de 1992 a 1993.



    O PPGE/UCP também foi representado na reunião pelas professoras Fabiana Eckhardt, Mirna Juliana Fonseca Santos Fonseca, Debora Breder Barreto e o mestrando José Angelo Muniz com apresentação de trabalho.
  • No último domingo (27.10), o Coro de Câmara da UCP se apresentou no XIII Sarau Café e Música no Museu, que acontece no Cineteatro do Museu Imperial. Sob a batuta do maestro Antônio Gastão, o grupo apresentou obras de Villa-Lobos. A apresentação contou, ainda, com a participação do coral convidado da Associação de Canto Coral do Rio de Janeiro, arrancando aplausos e o entusiasmo do público presente.

  • Mais do que oferecer assistência jurídica, no campo da mediação, o papel do Núcleo de Atendimento ao Idoso da UCP é ainda mais amplo. Esse amparo ao público da melhor idade passa também pelas áreas da saúde, de finanças, entre outras. Exemplo é a Oficina Memórias e Processos Cognitivos que está sendo promovida para os idosos que recebem atendimento junto ao Núcleo.

    Nos encontros, estão sendo trabalhadas a criação de vínculo; a verificação dos processos de memória e atenção por intermédio de testes. São trabalhados os cinco sentidos por meio de dinâmicas, evidenciado os processos de atenção e memória; a visão de si explorando as qualidades e potencialidades; lembranças do passado por meio de conversações; o luto; os desejos; sonhos e projetos para o futuro. São momentos de aprendizagem, de autoconhecimento, mas também de muita diversão.

  • Durante seis dias, diversas questões pertinentes às Engenharias e Arquitetura e Urbanismo, como novas tecnologias, mercado de trabalho, entre outros assuntos, foram debatidos na Semana Científica do CEC 2019 da UCP, que encerrou no último sábado (26.10). Uma série de atividades foi realizada no Campus Dom Cintra, voltada aos alunos da graduação do CEC, do Mestrado Profissional em Gestão de Sistemas de Engenharia, além do público em geral interessado nos temas.



    Na programação, destaque para a palestra Mais Lean, Menos Manufacturing, promovida pela Engenharia de Produção; sobre Compatibilidade Eletromagnética, das Engenharias Elétrica e Mecatrônica; a mesa-redonda A gestão do patrimônio paisagístico e ações institucionais relacionadas à compatibilização da preservação de áreas tombadas, da Arquitetura; o minicurso Desenvolvimento de um Game de Plataforma com GDevelop, de Engenharia de Computação; a Visita Técnica na GE Celma sobre Ensaios Não Destrutivos, pela Engenharia Mecânica; e a palestra Perícias e Avaliações na Engenharia Civil.  

    Foram cerca de 40 atividades na Semana Científica do CEC, entre palestras, oficinas, minicursos e mesas-redondas, abrangendo as Engenharias e Arquitetura e Urbanismo, proporcionando um ambiente de discussão, reflexão e incentivo de produção científica.

  • Resultado do trabalho do curso de Educação Física foi apresentado nos Jogos do Núcleo Pedagógico Semeando Flores, que aconteceu no sábado (26.10), no Centro Poliesportivo do Bingen


    Entender que todos, pessoas sem ou com qualquer tipo de deficiência, têm limitações, mas que essas podem ser adaptadas e superadas, inclusive na prática esportiva. É o que aprendem os alunos do curso de Educação Física da Universidade Católica de Petrópolis (UCP) durante a disciplina de Educação Física Adaptada. Uma parte do resultado deste trabalho foi apresentado no sábado (26.10), durante os Jogos Olímpicos do Núcleo Pedagógico Semeando Flores, que atende pessoas com deficiência entre 3 e 60 anos de idade. O evento aconteceu no Centro Poliesportivo, no Bingen.



    A atividade do Núcleo, que há quatro anos acontece em parceria com o curso de Educação Física da UCP, motiva os alunos a trabalharem o esporte e atividade física como ferramenta transformadora e impulsionadora. No trabalho desenvolvido com o Núcleo Pedagógico Semeando Flores, os estudantes atuam com cerca de 30 alunos que são atendidos pelo projeto, vivenciando atividades para crianças, adolescentes, adultos e idosos com deficiência cognitiva. Nos Jogos, os alunos montam o circuito de atividades e acompanham os alunos a trabalharem o seu melhor.

    "É muito importante para os alunos vivenciarem essa experiência, pois muitos quando começam a disciplina tem um certo preconceito, falando que nunca vão trabalhar com isso, por acharem que não saberão lidar. Mas quando eles veem o trabalho, esse contato muda a visão”, lembra a professora da disciplina, Janine Meirelles dos Santos sobre o caso de um aluno que tinha esse discurso, mas que se apaixonou.

    “Ele veio, se apaixonou, e hoje trabalha direto com eles. Mudou completamente a opinião. E está ansioso para fazer o estágio na área, que será no próximo período”, conta a docente, explicando que o projeto funciona como um laboratório da disciplina, que ainda proporciona o estágio supervisionado na área.

    “Colocamos no mercado um profissional mais bem preparado, com uma visão mais ampla da Educação Física e também com essa questão de olhar mais para o outro, uma visão mais humana”, frisa.

    Parceria garante formação mais completa a alunos do curso e ganhos pessoais a alunos e famílias do projeto

    Para a diretora do Núcleo Pedagógico Semeando Flores, a psicóloga Márcia Loureiro, a parceria com a UCP faz a diferença nesses futuros profissionais que chegarão ao mercado de trabalho, mas ainda mais na vida dos alunos atendidos no projeto.



    “Nossa escola não trabalha o que há de errado ou o pior neles. Trabalhamos o potencial do que há que possamos melhorar. Essa parceria traz uma autoestima para o aluno porque ele é capaz. Eles vão para o ginásio da UCP, o trabalho é divulgado e eles se sentem importantes. O tamanho da importância que são para nós. Trabalhamos com as famílias e vocês não têm noção de como é bom para eles virem aqui e verem os filhos participando. Porque a vida lá fora é preconceituosa. Aqui é uma aceitação. São todos iguais. E quando a gente percebe que uma empresa como a UCP promove essa inclusão e essa igualdade, isso é maravilhoso para as famílias”, comenta Márcia, que há dez anos iniciou o trabalho no Núcleo.

    “Para nós é superimportante essa parceria, pois temos uma escola totalmente atípica com múltiplas deficiências desde autismo, síndrome de down, PC, RN, TDH, TOD, de várias idades. Não somos uma escola grande, é um projeto pequeno. Mas desde que iniciamos essa parceria fiquei muito encantada com a disposição dos alunos e da UCP em fazer isso. E virou uma febre para eles, pois eles aguardam ansiosos esse dia”, disse.

  • Equipe participou de dois concursos no 61º Congresso Brasileiro do Concreto, realizado entre 15 e 18 de outubro, em Fortaleza, no Ceará


    Não foi dessa vez que o bicampeonato chegou para os alunos da Engenharia Civil da UCP na competição Quem sabe faz ao vivo (QSFV), que aconteceu no 61º Congresso Brasileiro do Concreto. Mas eles ganharam muito mais que o primeiro lugar: ganharam conhecimento, experiência e novas vivências. A equipe ficou em 5º lugar no concurso e em 10º na competição Concreto Colorido de Alta Resistência (COCAR), da qual participaram pela primeira vez. O resultado final foi divulgado na última sexta-feira (25.10). O evento, promovido pelo Instituto Brasileiro do Concreto (Ibracon), aconteceu entre os dias 15 e 18 de outubro, em Fortaleza, no Ceará.

    “Sentimo-nos vitoriosos com os resultados obtidos e principalmente com o quanto aprendemos com todo o decorrer da pesquisa. Seguiremos nos empenhando em nossos trabalhos e deixando sempre muito claro que toda ajuda é sempre muito bem-vinda”, disse o grupo, que neste ano contou com nove estudantes, entre os 7º e 9º períodos, que se dividiram para participar das duas competições.



    No primeiro dia foi feita a entrega dos corpos de prova para a competição do Concreto Colorido de Alta Resistência, na qual a equipe foi aprovada em todos os quesitos determinados no regulamento. O objetivo era testar a habilidade dos competidores na preparação de concretos de pós reativos com alta resistência e coloridos. O grupo da UCP alcançou o 10° lugar, competindo com 43 universidades.

    O segundo dia foi a competição Quem sabe faz ao vivo, na qual o grupo composto por cinco alunos tinha que virar um traço de concreto de alto desempenho com apenas uma hora para todo o trabalho, desde a separação dos materiais até a limpeza geral do local. Neste ano, no entanto, a equipe foi surpreendida, pois as especificações dos materiais só foram liberadas no dia da prova e eram tipos de materiais que os alunos não tinham treinado.

    “Mas como o próprio nome já diz “Quem sabe faz ao vivo” e assim encaramos o desafio com confiança em nosso conhecimento e aprendizados adquiridos no nosso dia a dia de laboratório. Com uma hora de prova realizamos nosso trabalho com sucesso e ainda conquistamos a simpatia de toda a equipe do evento, a qual muito nos elogiou”, lembra a equipe, que conquistou o 5º lugar, tendo a 2ª melhor resistência do concreto.

    “Foram dias de muito aprendizado e crescimento para nossa equipe. É importante também ressaltar o contato que fizemos com alunos de universidades de todo o país e conversamos sobre os avanços e as dificuldades de cada um. Vemos que nossa universidade cresce a cada dia e ainda tem muito a crescer, como todo curso. Mas contamos sempre com o apoio do corpo docente e da reitoria e nos colocamos à disposição para juntos fazermos o melhor pelo nosso ensino e nossa profissão, da qual temos imenso orgulho”, pontuam os alunos da UCP.


    Equipe agradece apoio e destaca crescimento na formação durante evento

    Formada pelos estudantes Ana Beatriz Brandão Medina Dolher Souza, Bruno da Rocha Baltar, Laís Rodrigues Silva, Leonardo de Souza Corrêa, Luana Ferreira de Carvalho, Marcella Moreira Dantas Bonforte, Maria Júlia Pessanha Piraciaba, Mariana de Souza Cunha e Matheus Barbosa da Silva, a equipe da UCP dobrou o tempo de dedicação aos testes e ensaios para as provas, e se preparou por sete meses.

    “Foram meses de preparação desde o ano passado em planejamento e desde o início do ano em trabalhos. Foram muitas tardes onde um grupo de 9 pessoas, mais alguns ajudantes, que não podemos deixar de dizer que foram essenciais para o nosso empenho, se dedicaram aos trabalhos das pesquisas no laboratório”, observa o grupo, que frisa o apoio de pessoas importantes em todo o processo.

    “Tivemos o apoio diário do professor Vinícius Costa Furtado Rosa e do laboratorista Alex Justen, a quem deixamos nosso especial agradecimento. Pudemos contar também com o incentivo do nosso coordenador e professor Robson Gaiofatto e da reitoria da universidade. Todo esse apoio dentro de nossa universidade fez com que pudéssemos também conquistar a confiança de empresas amigas que nos ajudaram com parte dos custos da viagem e com prestação de serviços. Enfim, foram muitas pessoas que acreditaram que nosso trabalho realmente é sério”, agradeceu a equipe da UCP.



    Neste ano, o grupo ganhou ainda mais apoiadores, com as empresas Grupo Encopetro, Nova Rocha Concreto e Pedreira, Serraria Petrópolis, Petro Sampa Materiais de Construção, MG Tecnologia na Construção, Pró Imagem Quality, MARC Engenharia e Projetos e SAMFVALE, que acreditaram no potencial e trabalho desenvolvido pelo grupo levando o nome de Petrópolis para as competições no principal evento do gênero no país.

    Além das competições, os estudantes da UCP também participaram da programação do Congresso, que contou com palestras com profissionais renomadas da área.

    “Tivemos a oportunidade de estarmos presentes em palestras de grandes nomes da engenharia e também fizemos contato com diversas empresas do ramo, no qual visamos novas parcerias para nossas pesquisas e nosso laboratório”, afirma o grupo.

  • O Núcleo de Atendimento ao Idoso da UCP participou, na quarta-feira (23.10), da audiência pública realizada na Câmara de Vereadores, a convite do legislativo municipal. A Universidade foi representada pela coordenadora do Núcleo, profa. Flávia Castellain, para o debate sobre A Política de Saúde do Idoso.

    O objetivo do encontro foi discutir as políticas públicas voltadas para esse segmento da população, com os profissionais que atuam diariamente com os idosos, entidades e a sociedade.  

  • Programação gratuita e aberta ao público, que contará com cerca de 40 atividades, acontece de 21 a 26 de outubro, no Campus Dom Cintra


    Cerca de 40 atividades serão oferecidas durante a Semana Científica do CEC 2019 da UCP, que foi aberta nesta segunda-feira (21.10) no Campus Dom Cintra. A programação gratuita e aberta ao público vai contar com uma série de eventos voltados aos alunos da graduação do CEC, do Mestrado Profissional em Gestão de Sistemas de Engenharia, além do público em geral interessado nos temas. As atividades acontecem até o sábado (26.10).



    Serão palestras, oficinas, minicursos, mesas-redondas e diversos eventos que vão proporcionar um ambiente de discussão, reflexão e incentivo de produção científica, capaz de traçar vetores tendentes a acomodar questões relevantes sobre as Engenharias e a Arquitetura e Urbanismo. A programação vai oferecer atividades específicas para cada curso do CEC – Engenharias Civil, Mecânica, da Computação, de Produção, Mecatrônica, Elétrica e Arquitetura e Urbanismo, e Redes de Computadores.

    “A Semana Científica é uma oportunidade de atualização, onde além de assuntos relacionados à ciência e tecnologia, traz minicursos e palestras com profissionais do mercado que apresentam direcionamentos, mercado de trabalho, perfis esperados e muito mais. As discussões trazem a oportunidade de fazer um Networking e de se colocar ou recolocar no mercado com as tecnologias mais recentes. Os minicursos trazem a oportunidade de conhecer ferramentas que podem auxiliar na profissão ou mesmo servir para criação de um perfil mais técnico e/ou científico”, observa o Prof. Dr. Fabio Lopes Licht, coordenador do CEC.

    A Semana Científica do CEC 2019 da UCP acontece de 21 a 26 de outubro, no Campus Dom Cintra, que fica na Rua Barão do Amazonas nº 124, Centro. Mais informações e a programação completa pode ser conferida no site.

  • Estudantes de Direito da UCP estiveram entre os dias 16 e 18 de outubro em Brasília para conhecer na prática o funcionamento de algumas instituições públicas federais. Na capital do país, eles visitaram todos os Tribunais Superiores e também o Congresso Nacional. A visita, que acontece anualmente, faz parte do programa Direito na Estrada, que tem a proposta de proporcionar aos alunos do curso a vivenciarem experiências jurídicas nos mais diversos cenários.

    O grupo, composto por alunos de diferentes períodos, conheceu o Superior Tribunal Federal; Superior Tribunal Militar; Memorial JKF; Congresso Nacional; e Tribunal Superior do Trabalho, onde foi recebido pelo Ministro Aloysio Correa da Veiga, Professor Honoris Causa da UCP. Ele recebeu o grupo da UCP na sessão da turma, a qual parou para falar sobre a instituição petropolitana. Acompanhados pelo coordenador do curso, Prof. Maurício Pires Guedes, e pela coordenadora do NPJ, Sintia Said Coelho Depois, depois os estudantes foram até o gabinete do ministro.

  • A Profª. Draª. Cleia Zanatta Clavery Guarnido Duarte, docente da graduação e do mestrado em Psicologia da UCP, foi homenageada no último sábado (19.10) pelo Sindicato dos Professores das Escolas Particulares de Petrópolis e Região. Na ocasião, que aconteceu na Casa de Cláudio de Souza, sede da Academia Petropolitana de Letras, a docente recebeu a homenagem pelo Dia do Professor por sua dedicação à Educação Petropolitana. A iniciativa foi uma parceria do Sindicato e da Academia Petropolitana de Educação.

Rua Benjamin Constant, 213 
Centro - Petrópolis/RJ
24 2244-4000